sexta-feira, 29 de abril de 2011

PROJETO ESCOLA SUSTENTÁVEL

Pensando em como transformar a E.E. Themudo Lessa em uma Escola Sustentável vou responder as perguntas do Processo Formativo para melhor apresentar a Escola e as Ecotécnicas que é posível implantar.

  1. Que mudanças devem ser implementadas no prédio?
R: Não encontrei nenhuma mudança a ser implantada, esta Escola parece ter sido construída pensando em todos os aspectos de eliminar sons externos e o aproveitamento da claridade externa, além das árvores ao redor da Escola que contribuem para um ambiente fresco e ventilado.
  1. - Como o entorno da escola pode ser organizado?
R: Na visão que tenho da Escola, não é possível organizar o entorno da Escola pois, o mesmo já foi consequentemente elaborado pois, a rua atrás da Escola é a continuação do viaduto que liga a parte industrial ao centro da cidade (comércio) que fica ao fundo da Escola e tambémfoi bemorganizado pois é repleto de árvores que impedem a passagem de som externo, em frente a entrada da Escola há o prédio da Eletropaulo que também não produz ruídos e protege toda a Escola, a “frente” da Escola fica uma das avenidas principais da região conhecido como: CORREDOR METROPOLITADO porém, como disse a construção da Escola foi pensada e nada fica para este lado, sendo assim, não há nada que precise ser melhorado.
  1. - Para além dos muros da escola, que ações podem ser realizadas? Quem pode ser mobilizado para isso?
R: Para além muro, é possível mobilizar toda a cidade como também a comunidade pois, é uma cidade de apenas 18km quadrados e todos se apoiam quando se trada de melhorias para a cidade e os moradores, principalmente relacionada à Escola de forma geral.
  1. - O que propor em termos de cronograma e um orçamento inicial?
R: O que precisa ser implantado é: coleta seletiva, horta, compostagem, implantação de ecotécnicas no currículo escolar; palestras de conscientização que posso dizer que com o apoio da Prefeitura e comunidade o custo é ZERO.
Algumas ecotécnicas que compõem as tecnologias ambientais podem ser incluídas com muita facilidade e inseridas no dia a dia de cada aluno já a partir do segundo semestre de 2011 e todas com custo zero, entre elas posso destacar:

Aulas de Fisica - Fogão solar – Fogão que utiliza energia solar para aquecer, assar e cozinhar alimentos, tornando-se uma opção para a cozinha da escola e, sobretudo, para ensinar princípios de Física e da Química em sala de aula.
Aulas de Biologia - Biossistema integrado – Sistema biológico multifuncional que realiza tratamento dos dejetos de forma simples, com baixo consumo de energia. Produz gás e adubo a partir da biomassa disponível e recicla nutrientes que serão reaproveitados na produção de vegetais e na recuperação de áreas degradadas.
Aulas de Ciências – ensino fundamental - Tratamento de resíduos sólidos e coleta seletiva – A partir da separação do lixo gerado em salas de aula, secretarias e no refeitório por meio da seleção de materiais recicláveis, como papéis e plástico, latas e vidros. A reutilização, reciclagem e coleta seletiva de resíduos criam práticas estéticas e de cuidado com o ambiente e a paisagem, além de favorecerem a economia solidária por meio de parcerias com cooperativas e associações de catadores de lixo.
Aulas de Química - Utilização do óleo de cozinha – Cada litro de óleo despejado no esgoto tem capacidade para poluir cerca de um milhão de litros de água. Em vez de prejudicar o funcionamento das estações de tratamento de água, os restos de óleo podem se transformar em sabão, e este, por sua vez, pode ser utilizado pela própria escola ou pelas famílias dos estudantes.
Todos os alunos - Horta – A organização da horta na escola pode ser uma atividade com dupla função: reaproveitar resíduos orgânicos por meio da compostagem e gerar ações multidisciplinares voltadas à educação ambiental comunitária. A produção de alimento orgânico, de flores e ervas, além de reforçar a merenda escolar, fortalece o diálogo de identidades e valoriza a trajetória e saberes de pessoas da comunidade que detêm conhecimentos de produção agrícola.
Todos os alunos - Sistema de captação de água – Sistema de armazenamento e reutilização da água de chuva para a irrigação de hortas, para a limpeza de pisos e em vasos sanitários, reduzindo os custos com abastecimento de água potável. Além disso, aumenta a oferta de água para atividades que retêm a umidade do solo, como arborização e ajardinamento.
Diretoria e Coordenação - Consumo verde e compras sustentáveis – Consumo de bens produzidos com menor impacto para a natureza e para a saúde humana. A modalidade de compra direta da agricultura familiar e da pequena produção local pela escola cumpre um importante papel na promoção da segurança alimentar e nutricional, na regulação de preços de alimentos e na movimentação de safras e estoques com foco no local e no baixo consumo de energia para transporte.
Todos os alunos - Produção de tintas com solos – O trabalho com pigmentos minerais possui grande importância cultural, ao resgatar costumes antigos, promovendo o exercício da arte no processo de colorir as paredes, a valorização dos conhecimentos ancestrais, ao mesmo tempo em que estimula a autoestima da população com uma prática de baixo impacto.

Custo:

Posso afirmar que poderá ser com custo ZERO pois, muitas empresas da região querem investir e falta projetos úteis para isso, além de que várias empresas da região são empresas Químicas e podem patrocinar alguns dos projetos acima descritos das ecotécnicas.

Em um projeto como este é possível até incluir parceiros do comércio local para a realização como apoiadores do projeto, acredito que é possível ainda incluir entidades da cidade para acompanhar a implantação deste projeto e depois levar estas mesmas ecotécnicas para as comunidades, afinal o povo jandirense é muito carente em todos os sentidos.

Desta forma faremos uma cidade mais humana, mais verde e mais consciente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário